aragonez.jpg

Aragonês

Para quem gosta de Tempranillo (especialmente da Ribera del Duero), Sangiovese ou Carignan.

É a mesma casta que a espanhola Tempranillo. A Tinta Roriz é muito fina e de extraordinária qualidade, por isso está presente em dois vinhos lendários produzidos na Península Ibérica: o português Barca Velha e o espanhol Vega Sicilia. Esta uva também tem sido cultivada há séculos no Alentejo, mas com o nome de Aragonês. Em bons anos produz vinhos encorpados, escuros e muito aromáticos. Tem aromas finos e delicados, de pimenta e uvas. A casta Aragonês tem alto rendimento e é indispensável para o lote de um bom Vinho do Porto. Vinhos tintos variados também mostram bons resultados, especialmente na região do Dão, enquanto os melhores lotes do Alentejo geralmente correspondem a vinhos com amplas percentagens de Tinta Roriz, tal como os tintos secos do Douro.

 


Harmonização com a casta Aragonês / Tinta Roriz

DSC_0280.JPG

Esta casta é uma vencedora quando se trata de combinações à mesa. Assume diferentes estilos consoante a região, com diversas concentrações de taninos, acidez e uso de carvalho. Classicamente harmonizada com cordeiro, a Tinta Roriz também é fantástica com outras carnes vermelhas (vaca) e carne de porco assada, enchidos e claro, leitão (um prato típico da Bairrada). Alimentos que evidenciam ervas aromáticas captam o saboroso carácter balsâmico da uva e o vinho sustenta-se bem com pato e veado. Vinhos rosados que incluem a Tinta Roriz combinam bem com comida asiática e indiana, enquanto que as interpretações mais leves e sem estágio em madeira ficam esplêndidas com peixes menos gordos (peixe espada, tubarão e atum). Finalmente muitos pratos vegetarianos, especialmente com legumes grelhados, podem ser uma opção de harmonização excepcional.



Dueto asiático: Galinha Teriyaki com espetadas de legumes grelhados

Dueto europeu: Atum grelhado servido com tapenade de azeitonas pretas

Dueto americano: Frango assado com puré de batata amanteigado