O País das Combinações

Nenhum outro país tem uma variedade de castas autóctones comparável a Portugal. A enorme variedade de diferentes uvas foi introduzida em Portugal ao longo de uma longa e magnífica história de viticultura, cuja origem remonta à Idade do Bronze segundo arqueólogos.

Os Tartéssios, Fenícios e Romanos deixaram a sua influência na vinificação. Séculos de isolamento também impediram uma maior influência de outros países produtores de vinho, como a Espanha e a França, que manteve os viticultores portugueses isolados e concentrados nos aromas delicados das suas próprias uvas.
Essa diversidade é impressionante, única e qualitativa no mundo: Touriga Nacional, Touriga Franca, Trincadeira, Aragonês, Baga, Castelão, Alvarinho, Arinto, Fernão Pires, Encruzado e muitas outras, são as responsáveis pelo caráter incomparável dos vinhos portugueses. Enquanto o mundo dos vinhos, em geral, se concentre mais nas castas Cabernet Sauvignon e Chardonnay, em Portugal os amantes de vinho desfrutam de uma impressionante opção de aromas diferentes e característicos. Portugal tem mais de 250 tipos de uvas nacionais, entre as quais apenas algumas (e em quantidades muito reduzidas) são encontradas além de suas fronteiras. O resto do mundo não sabe o que perde mas Portugal sabe o que tem!

Portugal tem mais de 250 uvas autóctones, apenas algumas (de uma forma muito pequena) são encontradas em outras partes do mundo.