Enogastronomia Portuguesa

A diversidade de estilos e sabores dos vinhos portugueses promovem uma infinidade de harmonizações gastronomicas que não se encontram em nenhuma outra parte do mundo. Seja qual for a ocasiçao, o prato ou evento, sempre se terá um vinho portugues que acompanha e encanta. 

O encontro de um bom vinho com comida é gratificante e sempre desejado. Pode-se degustar um bom vinho sem que ele esteja harmonizado com o prato, sendo o contrário também verdade, mas quando essa combinação tem sucesso, a experiência torna-se um evento especial.

Existem no mundo combinações clássicas de comida e vinho, e outras nem tão clássicas mas historicamente consagradas seja pelo regionalismo ou cultura, e nesse ponto em particular, a enogastronomia tem quebrado muitos paradigmas.

Portugal é uma experiência única nesse ponto pois possibilita tanto harmonizações culturais como regionais, proporcionando uma infinidade de paridades entre pratos e vinhos a serem descobertas e experienciadas. E não se pode deixar de salientar a infinidade de uvas autóctones, exclusivas de Portugal, e que somente um povo que as conhecem profundamente, podem criar os mais variados e exclusivos vinhos, ainda a serem conhecidos pelos grandes chefes do mundo, e claro, por você

Níveis de acidez, envelhecimento em tonéis de carvalho ou não, taninos, frutescência, suavidade ou intensidade; os vinhos portugueses respeitam a gastronomia clássica  e ao mesmo tempo desafiam novas harmonizações.

Especial e inesquecível são os adjetivos que mais se adequam às harmonizações que esses vinhos proporcionarão ao seu momento de alimentação.

Então, aqui está você diante de uma lista de vinhos e pratos escolhidos levando-se em consideração tudo que dissemos acima e que vão com certeza surpreendê-lo! A escolha é sua, podendo sempre pedir ajuda a um sommelier, mas lembrando que sempre, com vinhos portugueses, a comida e o seu momento estarão extremamente valorizados.

Pratos Ricos em Acidez


acores3153.jpg

Escolha um vinho branco fresco e de alta acidez se o prato for muito ácido (talvez devido ao molho na salada, vinagre, um molho com limão, alcaparras ou tomate). Um estilo de vinho mais suave irá ter um sabor menos intenso com comida condimentada. Os vinhos brancos do norte de Portugal são provavelmente mais compatíveis. Vinhos das regiões Vinho Verde, Dão, Bairrada, Beira Interior, Lafões, Terras da Beira, Beira Atlântico, Terras de Cister, Terras do Dão, Minho, ou então, os provenientes da região fresca e ventosa de vinhos de Lisboa: Bucelas ou Óbidos. Os espumantes também têm uma elevada acidez, sendo muito compatíveis para este tipo de comida. Existem muitas opções à escolha: Óbidos, Bairrada, Távora-Varosa, Douro, Dão e Beira Interior.


Frutos do Mar e Temperos Asiaticos


Cataplana._Photo_-_Regio_de_Turismo_do_Algarve.jpg

Os vinhos brancos secos e aromáticos são um bom acompanhante para marisco e comida asiática ligeiramente condimentada, especialmente indiana ou tailandesa, desde que não sejam pratos agridoces. Os vinhos aromáticos podem ser uma boa escolha quando num prato se utilizam ingredientes como gengibre, erva-príncipe, raspa de citrino, cebolas e pimentões doces. Procure vinhos com a casta aromática Fernão Pires; esta prevalece na área Vinho Regional Lisboa, também designada por Maria Gomes (Bairrada). Outras opções aromáticas podem recair no Alvarinho e Loureiro (Vinho Verde) e Moscatel, que por vezes são secos (Península de Setúbal). 

Peixe 


acores_052.jpg

É verdade que os vinhos brancos costumam ser a melhor opção para acompanhar peixe e marisco. Mas alguns molhos no peixe branco podem criar uma excelente compatibilidade com o vinho tinto; cozinhar o peixe em vinho tinto pode funcionar ainda melhor. O vinho tinto é o preferido dos portugueses para acompanhar bacalhau, e polvo ou lulas em molho de vinho tinto. Os vinhos tintos, especialmente da casta Baga/Bairrada, ficam surpreendentemente bons com atum fresco e o vinho verde tinto pode revelar-se uma combinação fantástica com sardinhas assadas. Mas os vinhos brancos portugueses são considerados a melhor opção para salmão e truta do mar. Como alternativa, pode-se experimentar um rosé seco para acompanhar espadarte.

Pratos Salgados com Alguma Doçura


acores3156.jpg

Um prato salgado que inclua alguma doçura suave (talvez proveniente de legumes, fruta ou de um toque de mel) combinará melhor com um vinho que tenha também um toque de doçura ou um caráter frutado vibrante que dá para captar o nível de doçura. Experimente um Vinho Verde de marca (em vez de um vinho de topo seco) ou um rosé de marca. Um tinto suave, super frutado do Alentejo também é uma boa combinação para acompanhar a comida, apesar de ser um vinho seco.

Sobremesas


acores3089.jpg

Um vinho seco terá um sabor insípido se for servido com a sobremesa. Esta é a altura perfeita para um copo de vinho doce ou licoroso: o doce Moscatel de Setúbal ou mesmo o vinho do Porto ou da Madeira. Um Moscatel típico irá complementar na perfeição muitos dos sabores encontrados nas sobremesas, em especial amêndoas, chocolate, café ou nota cítrica. Experimente o LBV Porto com bolo de café ou mousse de chocolate. A casta Malvasia da Madeira combina com bolo de mel local, frutas tropicais e sobremesas à base de frutos secos ou chocolate de leite.

Carnes vermelhas e caça 


madeira3_150.JPG

Os vinhos tintos com muitos taninos são difíceis de combinar com a comida. O tanino é o sabor amargo que naturalmente sentimos quando mastigamos uma semente de uva ou quando a saqueta do chá foi deixada na chaleira por demasiado tempo. Alguns ingredientes na comida fazem com que estes taninos fiquem mais amargos: gemas de ovo, natas, queijo derretido, espinafre, aipo, endro e muitas especiarias. Neste caso, é preferível escolher um vinho branco ou rosé. Os vinhos tintos bons e caros podem ser muito taninosos quando são jovens e todos os tintos adquirem um sabor mais suave e menos taninoso à medida que envelhecem. Os vinhos mais taninosos em Portugal são os tintos clássicos da Bairrada e do Douro, que combinam bem com caça, miudezas, estufados de carne e outras carnes ricas em molhos

Carne Branca


895.jpg

Caso se tenha preferência por beber vinho tinto, pode-se combinar um vinho encorpado mais suave e ligeiro com carnes brancas e com a maioria dos pratos simples de carne vermelha. Neste caso, um vinho tinto robusto e/ou taninoso pode sobrepor-se aos sabores destes pratos mencionados. Experimente um tinto suave do Alentejo, um tinto leve e fácil de beber do Ribatejo, um elegante tinto de Palmela, Algarve ou Alenquer, um tinto ligeiro de Óbidos ou um bom e maduro tinto de qualquer uma das regiões. A acidez fresca de um tinto do Dão pode cortar a riqueza de alguns pratos de carne. Os tintos robustos e tempestuosos do Douro, Dão, Bairrada e Alentejo podem enaltecer sabores delicados da comida. Os sabores intensos da comida podem mascarar completamente o sabor dos vinhos brancos suaves e os vinhos envelhecidos em carvalho, sejam eles tintos ou brancos, também podem prevalecer num prato fino.


Queijo


acores5_072.jpg

Os queijos têm muitas formas; os seus sabores variam muito. Muitos queijos distintos não combinam com determinados vinhos. Mas algumas combinações de vinho e queijo são divinais. E os melhores vinhos para queijos tanto podem ser brancos ou tintos, secos ou doces, Porto ou Madeira.

 


Outras Sugestões

Vinho Verde Branco com carril de pato assado tailandês, cavalinha fumada, saladas, hummus

Vinho Verde tinto com sardinhas assadas

Bairrada/Baga com atum fresco, perdiz assada, chilli com carne, queijo mole de cabra

Aragonez com feijoada ou cassoulet, Gorgonzola, pratos temperados com tomilho, borrego, fígado, bacalhau

Red Dão com porco, leitão, rins, presunto

Touriga Nacional não envelhecida em carvalho ou ligeiramente envelhecida com carne de vaca

Setúbal com tiramisú, Christmas pudding (bolo inglês com especiarias), banoffee pie (tarte de banana e caramelo), tarte de limão.

Bual Madeira com Roquefort, Stilton, Gjetöst

Douro tinto com queijo de cabra fresco, velho Gouda, Stilton

Porto Tawny de 10 anos com Queijo da Serra, Stilton, nozes

Porto Ryby ou Vintage com Queijo da Serra